Equipe

Jeferson Della Rocca - Direção Musical e Regência

Fundador, maestro e diretor artístico da Camerata Florianópolis, é um dos mais atuantes músicos do Estado de Santa Catarina. Iniciou seus estudos musicais em sua infância, dedicando-se principalmente ao violino. Realizou diversos cursos de aperfeiçoamento em violino e regência no Brasil e em outros países da América do Sul, Europa, Ásia e Oceania. Como professor de violino, formou toda uma geração de jovens músicos e dedicou-se a importantes projetos sociais. Como maestro, realizou com a Camerata Florianópolis mais de 500 concertos em Santa Catarina, outros estados do Brasil e países da Europa como Itália, Alemanha, França e Espanha, contando com a participação de renomados solistas nacionais e estrangeiros. Junto a Camerata Florianópolis, além do seu reconhecido trabalho em música de câmara, nos últimos anos vem se destacando na bem sucedida execução de inúmeras obras sinfônicas,9 óperas e balé, recebendo importantes críticas de musicólogos, compositores e grandes nomes do canto lírico. Desde o ano 2000 cumpre um importante papel no incentivo à composição erudita contemporânea. Della Rocca é detentor de diversos prêmios e homenagens, dentre elas a Medalha Cruze Souza. Em novembro de 2006, foi empossado como membro da Academia Catarinense de Letras e Artes. Como última honraria, em 2011 a Camerata Florianópolis recebeu o Prêmio Franklin Cascaes de Cultura, por parte da Prefeitura de Florianópolis e em abril de 2012 lança seu nono CD e primeiro DVD, intitulado “Clássicos com Energia”.

Antônio Cunha - Concepção e Direção Cênica

Diretor, dramaturgo, roteirista e ator, natural de Florianópolis, é de sua autoria, dentre outras, a peça “Dona Maria, a Louca”, que já recebeu montagens de sucesso no Brasil e em Portugal. Em 2004, lançou o livro “Três Dramas Possíveis”, contendo três de seus principais textos teatrais. Como ator, tem participado de diversos trabalhos no teatro e no cinema, dentre os quais destaca-se o filme ENSAIO, de Tânia Lamarca, cujo lançamento deu-se em outubro de 2013. Assinou a direção de várias peças de teatro, suas e de outros autores, como “Uma Visita”, do dramaturgo alemão Martin Walser, pelo Grupo Armação, com a qual excursionou pelo território dos Açores, em Portugal, a convite do governo local. Iniciou a sua incursão pela ópera realizando a concepção e direção cênica de “O Diretor de Teatro” (Der Schauspieldirektor) de Mozart (2004) pela Companhia da Ilha (Florianópolis), continuando com Cavalleria Rusticana, de Mascagni (2004); A Flauta Mágica, de Mozart (2005); Rigoletto, de Verdi (2006); La Traviata, de Verdi (2007 e 2008); O Elixir do Amor, de Donizetti (2008) e O Barbeiro de Sevilha de Rossini (2009), todas pela Pró-Música de Florianópolis.Em 2010, dirigiu com a mesma equipe a remontagem da ópera La Traviata em Florianópolis, já pela Cia. Ópera de Santa Catarina, e, em 2012, a remontagem de O Barbeiro de Sevilha apresentada na cidade de Chapecó. É membro da Academia Catarinense de Letras e Artes.Diretor, dramaturgo, roteirista e ator, natural de Florianópolis, é de sua autoria, dentre outras, a peça “Dona Maria, a Louca”, que já recebeu montagens de sucesso no Brasil e em Portugal. Em 2004, lançou o livro “Três Dramas Possíveis”, contendo três de seus principais textos teatrais. Como ator, tem participado de diversos trabalhos no teatro e no cinema, dentre os quais destaca-se o filme ENSAIO, de Tânia Lamarca, com lançamento previsto para junho de 2013. Assinou a direção de várias peças de teatro, suas e de outros autores, como “Uma Visita”, do dramaturgo alemão Martin Walser, pelo Grupo Armação, com a qual excursionou pelo território dos Açores, em Portugal, a convite do governo local. Iniciou a sua incursão pela ópera realizando a concepção e direção cênica de “O Diretor de Teatro” (Der Schauspieldirektor) de Mozart (2004) pela Companhia da Ilha (Florianópolis), continuando com Cavalleria Rusticana, de Mascagni (2004); A Flauta Mágica, de Mozart (2005 e 2013); Rigoletto, de Verdi (2006); La Traviata, de Verdi (2007 e 2008); O Elixir do Amor, de Donizetti (2008) e O Barbeiro de Sevilha de Rossini (2009), todas pela Pró-Música de Florianópolis. Em 2010, dirigiu com a mesma equipe a remontagem da ópera La Traviata em Florianópolis, já pela Cia. Ópera de Santa Catarina, e, em 2012, a remontagem de O Barbeiro de Sevilha apresentada na cidade de Chapecó. É membro da Academia Catarinense de Letras e Artes.

Mércia Mafra Ferreira - Direção Artística

Dedica-se à música há 50 anos, de forma intensa e ininterrupta. Durante sua carreira, iniciada na década de 60 com os maestros Isaac Karabtschewisk e Elza Lakschevitz, regeu corais amadores e profissionais, deu aulas tanto no setor público como no privado e, em 2000 criou o Polyphonia Khoros, grupo que dirige até hoje. Natural de Itaperuna-RJ, está radicada em Florianópolis há 37 anos. Teve sua formação profissional realizada no Conservatório Brasileiro de Música, RJ, onde obteve o bacharelado em Piano e estudou Canto e Regência. Já em Florianópolis, dedicou-se ao ensino da música na Escola Técnica Federal e no Instituto Estadual de Educação, onde foi a regente do coral do IEE por 15 anos. Foi jurada do segundo Concurso Nacional Funarte de Canto Coral em 2002 e atualmente é membro da Academia Catarinense de Letras e Artes de Santa Catarina. Foi condecorada em 2009 com a Medalha do Mérito Cultural Cruz e Souza. De 2004 a 2010 foi Diretora Artística do Festival Aldo Baldin e das óperas encenadas pela Pró-Música de Florianópolis. Atualmente é Diretora Artística das ópera encenadas pela Cia Ópera de Santa Catarina. Nesses 13 anos de atividade, o Polyphonia Khoros tem mostrado o resultado de seu intenso trabalho através de concertos “a cappella”; apresentações com a Camerata Florianópolis e participação em óperas. Como regente e diretora musical do Poyphonia Khoros realizou 14 turnês pelas principais cidades de Santa Catarina, sul e sudeste do Brasil, Argentina e Uruguai e gravou os CDs Natal, com composições de Aldo e Edino Krieger e As Vozes da Poesia com obras para coro e piano de Alberto Andrés Heller.

Neyde Coelho - Direção Geral

Pianista, estudou com Oleh Gabruzewicz (Ucrânia), Magdalena Tagliaferro, Jacques Klein, Miguel Proença e Gilberto Tinetti. Participou das classes de piano das professoras Henriqueta Garcez Duarte e Ingrid Seraphin do Curso Superior de Piano na Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Licenciada em Artes pela Fundação Regional de Blumenau – FURB foi professora do curso de piano e Diretora da Escola Superior de Música de Blumenau. Em 1981 fez parte do grupo de fundadores da Orquestra de Câmara de Blumenau, como Diretora Executiva de 1981 a 1992. Recebeu em 1992 o Top de Marketing da ADVB/SC na categoria Cultura. De 1992 a 1994 trabalhou na Interarte Produções Artísticas, em São Paulo. De 1997 a 2007 foi Diretora Artística da Pró-Música de Florianópolis. Em 2007 recebeu a Medalha do Mérito Cultural Cruz e Sousa Até 2009 atuou como Produtora Executiva da Pró-Música de Florianópolis e como Diretora Geral de Produção de óperas. Em Novembro de 2009, participou da fundação da Cia Ópera de Santa Catarina da qual é Presidente a partir de fevereiro de 2013.

Joice Della Rocca - produção

Trabalha com produção cultural desde o ano de 2000. Participou da produção dos espetáculos do pianista russo Eduard Shulkin, BWV.BACH.SHOW.BR - Um Concerto Diferente do Grupo Allegro Vivace, Série Ciclo Jovens Talentos Catarinenses, Momentos com Franklin Cascaes do Grupo Allegro Vivace, do projeto Edino Krieger 80 anos e a Orquestra de Câmara de Caçador. Atuou como coordenadora de negócios da Pró-Música de Florianópolis de 2003 a dezembro 2008. Atualmente é coordenadora de negócios da Camerata Florianópolis e da Cia Ópera de SC da qual participou da fundação em 2009. Desenvolveu um importante trabalho junto a grupos de câmara de Florianópolis. Coordena o projeto educacional Música e Cidadania na região dos lagos de SC. É responsável atualmente pela produção de óperas da Cia Ópera de SC.

Maria Elita Pereira - produção

Produtora cultural desde 1998, junto à Camerata Florianópolis produziu mais de 400 concertos em Florianópolis, turnês pelo Estado de Santa Catarina, turnê nacional e europeia mantendo a orquestra com temporadas inéditas e trazendo grandes solistas nacionais e internacionais,além da série Concertos nas Comunidades, visando à democratização da música erudita. Ainda com a Camerata Florianópolisgravou 8 CDs. Como produtora do Polyphonia Khoros, desde 2002 realizou nove turnês Estaduais, uma turnê Nacional e uma Turnê Sul Americana. A partir de 2005 passou a coordenar o projeto “Educando com Música” no município de São Pedro de Alcântara. Entre 2003 e 2009, realizou a Coordenação de Negócios para a Pró-Música de Florianópolis na montagem completa das óperas Carmem (2003), Cavalleria Rusticana (2004), A Flauta Mágica (2005), Rigoletto (2006), La Traviata (2007, 2008 e 2010), O Elixir do Amor (2008) e O Barbeiro de Sevilha (2009e 2012). Em Novembro de 2009, participou da fundação da Cia Ópera de Santa Catarina.

Edmundo Meira Neto - Cenografia e Adereços de Cena

Engenheiro por formação, iniciou os trabalhos para espetáculos teatrais em 2005, como aderecista de figurino na montagem da ópera A Flauta Magica para a Pró-Música em Florianópolis. Participou também, dentre outros, como aderecista de figurino e cenografia das operas Rigoletto,La Traviata, Elixir do Amor e O Barbeiro de Sevilha para a Cia. Opera de SC; dos espetáculos Auto da Conquista para o Estudio Vozes; Xica da Silva, o musical de Charles Prochnow e dos balés Don Quitoxe e Giselle para o Bolshoi Brasil. Fez os projetos das alegorias para a Escola de Samba Unidos da Coloninha nos anos de 2009 e 2011. Em 2012 fez parte da equipe de cenógrafos da ópera Carmen, apresentada no Teatro Castro Alves em Salvador.

José Alfredo Beirão - Figurinos e Adereços de Cena

Nascido em Criciúma formou-se em arquitetura com especialização em Costumes de Scène pela Escola Superior de Artes e Técnicas da Moda em Paris, onde estagiou na Opéra National de Paris em 1999. É Professor do Curso de Bacharelado em Moda da Udesc e Doutorando em Engenharia e Gestão do Conhecimento na UFSC. Seus principais trabalhos em figurino e cenografia foram: Dame de Coeurs- confecção de um traje realizado no atelier da Opéra National de Paris para a exposição “La Comtesse Castiglioni par elle même” a partir de uma pintura de época; Prince Russe-concebido e realizado como trabalho de conclusão de curso na ESMOD de Paris.Esse traje faz parte da coleção de costumes russos do Departamento de Artes da Biblioteca Nacional da França; Le Dragon (Evgueni Schwartz) para o Theatre de Gennevilliers. Figurinos para óperas: Il Pagliacci (Cavallo) para o Estúdio Vozes; Falstaff (Verdi) para a Opéra National de Paris; Le Triomphe de la Vertu (Adrienne Clostre) para o Museu Nacional da Idade Média de Paris; O Guarany (Carlos Gomes) e Catharina, Uma Ópera da Ilha (Bebel Orofino) Além da criação de figurinos para carnaval, peças teatrais, cinema e balés, como os trajes típicos russos para o Ballet Bolshoi do Brasil, criou os figurinos das óperas Cavalleria Rusticana (2004), A Flauta Mágica (2005), Rigoletto (2006), La Traviata (2007 e 2008) e Elixir do Amor (2008) e Barbeiro de Sevilha (2009), produzidas pela Pró-Música de Florianópolis.

Sulanger Bavaresco - Assistente de Direção Cênica

Diretora Teatral, atriz, produtora cultural e professora. Graduada em Artes Cênicas pela UDESC, atua no âmbito teatral desde 1984. Criou, em 1993, o FLORIPA TEATRO - Festival Isnard Azevedo e desde 2011 ocupa cadeira na ACLA - Academia de Artes e Letras de Santa Catarina. Como diretora realizou diversos espetáculos junto ao grupo O Dromedário Loquaz e outros e como atriz atuou em diversas montagens. Desde 2005 é Assistente de Direção das montagens de ópera feitas pela Pró-Música de Florianópolis e posteriormente pela Cia Ópera de Santa Catarina. Pela Camerata Florianópolis assinou a direção cênica das operetas La Serva Padrona, de Pergolesi em 2009, O Empresário, de W. A. Mozart em 2010 e A Cantata do Café, de J.S. Bach, em 2011. Em 2012 dirigiu pelo Grupo de Teatro O Dromedário Loquaz o espetáculo Árias Públicas, que reuniu 01 pianista e 10 cantores líricos em apresentação realizada ao ar livre.

Orquestra Ópera de Santa Catarina

Fundada oficialmente em setembro de 2007 pelo maestro Jeferson Della Rocca, foi formada com o objetivo de privilegiar o repertório lírico, óperas e outras obras do repertório sinfônico. Esta orquestra tem como base o núcleo de cordas, madeiras e percussão da Camerata Florianópolis, considerada pela crítica especializada como uma das melhores orquestras de câmara do Brasil, possuindo em seu currículo turnês por vários estados do Brasil, cidades da Alemanha, Espanha, Itália e França e ainda a gravação de oito CDs. A Orquestra da Ópera de Santa Catarina, em seu concerto inaugural, obteve imenso sucesso com a execução da 9ª Sinfonia de Beethoven. Esta formação sinfônica, sob a regência do maestro Jeferson Della Rocca, vem atuando desde 2003, quando participou da montagem completa da ópera Carmen promovida pela Pró-Música de Florianópolis. Participou das óperas Cavalleria Rusticana de Mascagni (2004), Der Schauspiel-direktor de Mozart (2004), A Flauta Mágica de Mozart (2005 E 2013), Rigoletto de Verdi (2006), La Traviata de Verdi (2007, 2008 e 2010), Elixir do Amor (2008) e O Barbeiro de Sevilha (2009 e 2012).

Polyphonia Khoros

O Polyphonia Khoros foi fundado em 2000 pela maestrina Mércia Mafra Ferreira, que após vários anos de trabalho na direção de outros coros, idealizou formar um grupo vocal de excelência. O Polyphonia Khoros é, portanto, seu projeto de maturidade e vem se destacando no cenário catarinense e nacional através de apresentações que expressam tanto o cuidado na escolha do repertório, quanto a constante busca do aprimoramento vocal em nome das nuances interpretativas requeridas pelas diversidades dos períodos, estilos e compositores a que o grupo se dedica. Nestes dez anos de atividades, o Polyphonia Khoros já realizou nove turnês pelas principais cidades de Santa Catarina, sul e sudeste do Brasil, Argentina e Uruguai, com programas variados, que incluem desde concertos “a cappella” e obras completas para coro e orquestra e a participação de montagens de óperas. Participou das óperas Carmen (2003), Cavalleria Rusticana de Mascagni (2004), Der Schauspiel-direktor de Mozart (2004), A Flauta Mágica de Mozart (2005 E 2013), Rigoletto de Verdi (2006), La Traviata de Verdi (2007, 2008 e 2010), Elixir do Amor (2008) e Barbeiro de Sevilha (2009 E 2012).